Há muito sobre o trauma e os efeitos que isso tem em nossas vidas que não sabemos muito. Quer dizer, posso entender sob a minha própria perspectiva alguns dos efeitos e o que me traumatizou ao longo dos anos, mas isso é o que diz respeito ao meu conhecimento específico sobre o assunto. Quando fiquei sabendo do documentário The Wisdom of Trauma, com o Dr. Gabor Maté, tive que assistir. Fiquei curiosa por causa do título porque não conseguia pensar em que tipo de sabedoria você poderia obter do trauma, a não ser pela constatação que tem gente muito horrível nesse mundo.

O filme começa com um alerta de gatilho, que também gostaria de dar neste post só para garantir. Ao longo do filme, o Dr. Gabor Maté entrevista várias pessoas sobre o trauma por que passaram e como isso as pode ter levado a diferentes vícios, que podem servir de gatilho para algumas pessoas. O documentário me prendeu desde o início, já uma das primeiras falas foi “Nosso trabalho como humanos é aprender com o nosso sofrimento”. Embora eu tenha mencionado isso em um post anterior, existem alguns tipos de sofrimento com os quais eu não posso imaginar o que você poderia aprender.

Houve tantas coisas interessantes ditas nos primeiros dez minutos do filme que me peguei constantemente parando para fazer anotações. O documentário fala sobre as diferentes maneiras pelas quais uma pessoa fica traumatizada e como não é necessariamente a coisa ruim que aconteceu que cria o trauma, mas o que acontece dentro de nós como resultado disso. E isso definitivamente acertou em cheio para mim.

O Dr. Gabor Maté usa exemplos como o trauma gerado quando alguém tem que lidar com uma dor sozinha – o simples fato da pessoa se sentir isolada pode criar um trauma sem que a pessoa perceba. E isso vai se manifestar no futuro de maneiras estranhas, como se você contratar um técnico para fazer algum trabalho, mas ele de alguma forma te desapontar, e em vez de apenas lidar com isso como um compromisso profissional, você leva para o lado pessoal e se sente desrespeitada e desvalorizada.

Uma citação que me atingiu duramente o documentário foi “Trauma é estar desconectado de nós mesmos porque é muito doloroso ser nós mesmos”. Já mencionei antes que, com todo o trauma e abuso que passei, não sei mais quem sou, e isso me fez pensar que talvez nunca soubesse.

Este documentário é muito informativo para as pessoas entenderem traumas, o que muitas pessoas realmente não entendem, e se você está em processo de cura, eu diria que é imperdível – ao mesmo tempo que leva em consideração a discrição do espectador. Se você acha que pode ser um gatilho para você, assista com cuidado.

The Wisdom of Trauma está disponível apenas periodicamente, portanto, verifique o site para obter informações sobre a próxima sessão de visualização.

Escrito por Bruna Gorresio